Segunda, 17 de junho de 2019
83 98826-4620
Brasil

14/06/2019 às 10h50 - atualizada em 14/06/2019 às 10h57

71

SUPORTE TÉCNICO AVANÇADO

joão pessoa / PB

Romero pagou três valores diferentes na compra de combustível ao mesmo fornecedor
Apenas em 2018 o prefeito de Campina Grande empenhou o montante de R$ 5.443.865,48 em combustíveis
Romero pagou três valores diferentes na compra de combustível ao mesmo fornecedor
Tribunal de Contas do Estado emitiu um alerta para o prefeito Romero Rodrigues

Realização de varias processos de licitação para compra de combustível, perdendo assim a economia de escala; ausência de sistema informatizado de gestão e falta de controle de abastecimento e prática de preços na compra de combustível em valor superior de mercado, faz o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba emitir alerta à Prefeitura Municipal de Campina Grande, no sentido de que adote medidas de prevenção ou correção.


 


A diligência foi realizada pelos auditores de contas públicas, e consta no relatório de inspeção especial de acompanhamento da gestão, exercício 2019, no intuito de prevenir fatos que comprometam resultados na gestão orçamentária, financeira e patrimonial.


 


Durante a inspeção, in loco, foram selecionadas despesas correspondente aos meses de janeiro a março de 2019. O processo ( nº 00293/19) tem relatoria do conselheiro substituto Antônio Cláudio Silva Santos.


 


Achados da auditoria- Em análise dos processos de aquisições de combustíveis e preços praticados foi observada uma situação incomum, de acordo com os auditores: três entidades da gestão municipal – Prefeitura, Fundo Municipal de Saúde e Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos – contrataram o mesmo fornecedor, mas com preços diferentes e com valores acima do mercado.


 


Este fato configura prejuízo à administração pública e é um dos pontos do alerta. “Caso o procedimento fosse conduzido de forma ordenada e harmonizada entre as entidades, as quantidades totais licitadas seriam maiores, proporcionando um possível ganho de escala e, consequentemente, a obtenção de uma proposta mais vantajosa”, detalha o relatório.


 


Os auditores também destacaram o frágil sistema de controle de abastecimento dos veículos das entidades. “Uma simples comanda, assinada, é utilizada para autorizar os abastecimentos, e o controle de consumo se dá mediante o preenchimento manual de uma planilha impressa” .


 


No entendimento técnico do TCE-PB, para um município do porte de Campina Grande, que só em 2018 empenhou o montante de R$ 5.443.865,48 em combustíveis, “ faz-se necessária a implementação de controle informatizado, que permitirá economia de tempo na gestão, informações mais precisas e seguras, facilitação na identificação de falhas e pontos de fuga de recursos, mitigação de retrabalhos e redundâncias, dentre outros benefícios” .


 


O alerta n00541/19 foi publicado no Diário Oficial Eletrônico do TCE-PB desta quinta-feira (13) e pode ser lido, na íntegra, no Portal do Tribunal, em tce.pb.gov.br, ou por meio do aplicativo Nosso TCE-PB, disponível para Android e IOS.


 


 


Ascom/TCE-PB

FONTE: Redação com assessoria

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium